Por que os fisioterapeutas precisam investir em Home Care?

O mercado está cada vez mais competitivo e isso oferece novos desafios para profissionais que querem se destacar. Para conseguir as melhores oportunidades e ter sucesso profissional, é muito importante se manter atualizado e aberto a inovações.

A questão é: como isso pode ser aplicado na fisioterapia? Neste artigo, vamos mostrar um excelente modelo de prestação de serviço, principalmente para quem está em início de carreira, o home care (atendimento domiciliar). Boa leitura!
 

Como funciona a fisioterapia home care?

O home care, ou atendimento domiciliar, é o termo utilizado para designar um conjunto de cuidados à saúde oferecidos por uma equipe multidisciplinar, que inclui:

- fisioterapeutas;
- nutricionistas;
- fonoaudiólogos;
- médicos;
- enfermeiros.

Portanto, a fisioterapia home care é a prestação de cuidados (a curto, médio ou longo prazo) realizado fora do ambiente hospitalar para prevenção, assistência e reabilitação de pacientes.

Esse tipo de atendimento pode ser realizado na casa do paciente, em instituições de longa permanência, orfanatos, bem como ser oferecido por profissionais autônomos ou clínicas especializadas em home care.

Geralmente, a fisioterapia domiciliar é um serviço contratado por pessoas que possuem dificuldade de locomoção, falta de tempo ou que desejam um tratamentos mais humanizado.

A prática traz vários benefícios para pacientes, entre eles:

- flexibilidade de horário;
- praticidade;
- atendimento personalizado;
- presença de amigos e familiares;
- ambiente mais confortável;
- menos exposição a riscos hospitalares.
 

Qual é o panorama do home care no Brasil?

O home care é uma tendência internacional e também está em expansão no Brasil. Uma das provas disso é que o censo encomendado pelo Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar (NEAD) e realizado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), mostra que o número de estabelecimentos home care cresceu 22,8% em 2019 em comparação ao ano anterior.

Apesar de ainda não existirem dados oficiais mais recentes, nós já sabemos que esse crescimento foi intensificado pela pandemia de covid-19 — que está provocando falta de leitos em todo o país e faz com que muitas pessoas tenham medo de serem contaminadas pelo vírus nos hospitais.
 

Então, por que o fisioterapeuta deve investir em atendimento domiciliar?

O mercado de atendimento domiciliar está em pleno crescimento e movimentou R$ 10,6 bilhões em 2019. No mesmo ano, o número de pacientes atendidos em atendimento e internação domiciliar foi de 292 mil.

A crescente falta de leitos, o medo de se expor ao vírus nos hospitais, o envelhecimento da população, entre outros vários fatores contribuem para que o serviço de fisioterapia seja cada vez mais procurado no país.

Um dos desafios para que isso aconteça é a falta de profissionais especializados para realizar atendimentos domiciliares de qualidade. Afinal, apenas a graduação em Fisioterapia, não costuma englobar todos os conhecimentos necessários para esse tipo de atuação.

Essa pode ser uma oportunidade muito interessante para profissionais de terapia que sonham em ser muito bem remunerados e acreditam que é possível realizar um excelente trabalho fora dos hospitais.

O Ibraesp oferece vários cursos de pós-graduação na área de fisioterapia, incluindo o curso Fisioterapia em Home Care online. Então, se você quer se preparar para esse mercado, não perca tempo: faça agora mesmo a sua inscrição!


Leia também:

Entenda como funciona e quais são as oportunidades do mercado de trabalho em Home Care.

Atendimentos domiciliares movimentam bilhões de reais no Brasil.

Você sabia que existem manuais de boas práticas para atendimentos domiciliares?

Gostou deste post?
Ajude-nos a divulgar o mesmo!
Compartilhe ...